jusbrasil.com.br
7 de Julho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal Superior do Trabalho TST - EMBARGOS DECLARATORIOS RECURSO DE REVISTA: E-ED-RR 996-63.2010.5.02.0261 - Inteiro Teor

Tribunal Superior do Trabalho
há 6 anos

Detalhes da Jurisprudência

Publicação

DEJT 15/02/2016

Relator

João Oreste Dalazen

Documentos anexos

Inteiro TeorTST_E-ED-RR_9966320105020261_983bb.rtf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

0105000002000000180000004d73786d6c322e534158584d4c5265616465722e362e3000000000000000000000060000d0cf11e0a1b11ae1000000000000000000000000000000003e000300feff090006000000000000000000000001000000010000000000000000100000feffffff00000000feffffff0000000000000000fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffdfffffffeffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff52006f006f007400200045006e00740072007900000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000016000500ffffffffffffffffffffffff0c6ad98892f1d411a65f0040963251e5000000000000000000000000f0f30a046653cf01feffffff00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000105000000000000Embargante:VAGNER EDUARDO SADAUSKAS

Advogado :Dr. Fábio Frederico de Freitas Tertuliano

Embargado :MAG BRASIL COMÉRCIO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA DE MÁQUINAS LTDA.

Advogado :Dr. Laura Mendes Bumachar

Embargado :THYSSENKRUPP PRODUCTION SYSTEMS LTDA.

Advogado :Dr. Luiz Eduardo Moreira Coelho

JOD/lc/vc/af

D E C I S Ã O

A Eg. Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho, mediante o acórdão de fls. 391/400 da numeração eletrônica, complementado pela decisão de fls. 446/449 proferida em embargos de declaração, conheceu do recurso de revista interposto pela 2ª Reclamada, Thyssenkrupp Production Systems Ltda., no tocante ao tema -Grupo Econômico. Configuração. Relação de Coordenação-, por violação do art. 2º, § 2º, da CLT, e, no mérito, deu-lhe provimento para excluir a responsabilidade solidária imposta à Reclamada Thyssenkrupp Production Systems Ltda.

Inconformado, o Reclamante interpõe embargos, sob a égide da Lei nº 13.015/2014. Transcreve arestos para o cotejo de teses (fls. 451/457 da numeração eletrônica).

Considero satisfeitos os pressupostos extrínsecos de admissibilidade do recurso de embargos concernentes à tempestividade (fls. 450 e 472 da numeração eletrônica) e à regularidade de representação processual (fl. 11 da numeração eletrônica). Inexigível o depósito recursal.

Na hipótese, diviso divergência jurisprudencial a dar ensejo à admissibilidade dos embargos.

Eis o que consigna o acórdão embargado:

-[...]

A Eg. Subseção I Especializada em Dissídios Individuais do TST, no julgamento do Processo nº E-ED- RR-214940-39.2006.5.02.0472, ao tratar da questão da configuração de grupo econômico no caso de mera coordenação entre empresas, em que ausente direção de uma sobre a (s) outra (s), firmou o seguinte entendimento:

`RECURSO DE EMBARGOS EM RECURSO DE REVISTA. CONFIGURAÇÃO DE GRUPO ECONÔMICO. ART. 2º, § 2º, DA CLT. EXISTÊNCIA DE SÓCIOS EM COMUM. A interpretação do art. 2º, § 2º, da CLT conduz à conclusão de que, para a configuração de grupo econômico, não basta a mera situação de coordenação entre as empresas. É necessária a presença de relação hierárquica entre elas, de efetivo controle de uma empresa sobre as outras. O simples fato de haver sócios em comum não implica por si só o reconhecimento do grupo econômico. No caso, não há elementos fáticos que comprovem a existência de hierarquia ou de laços de direção entre as reclamadas que autorize a responsabilidade solidária. Recurso de Embargos conhecido por divergência jurisprudencial e desprovido.- (E-ED- RR-214940-39.2006.5.02.0472, Relator Ministro: Horácio Raymundo de Senna Pires, Data de Julgamento: 22/5/2014, Subseção I Especializada em Dissídios Individuais, Data de Publicação: DEJT 15/8/2014; grifo nosso)

Na ocasião, acompanhei a corrente vencedora por entender que, para a caracterização da responsabilidade solidária de que cogita o art. 2º, § 2º, da CLT, é necessário que as empresas estejam sob a direção, controle ou administração de outra, constituindo grupo econômico.

É dizer, indispensável a existência de elementos fáticos a demonstrar uma relação de dominação ou de hierarquia entre elas, a evidenciar a presença de um controle unificado.

[...]- (fls. 396/397)

Como visto, a Eg. 4ª Turma desta Corte excluiu a responsabilidade solidária, reconhecida pelo Tribunal a quo, sob o fundamento de que, para configurar grupo econômico, necessário se faz a presença de relação hierárquica entre as empresas.

O aresto indicado à fl. 454, proveniente da 1ª Turma do TST, da lavra do Exmo. Ministro Lélio Bentes Corrêa, referente às mesmas Reclamadas, demonstra o pretendido conflito de teses, ao consignar:

-[...]

Nesse passo, a existência de relação de coordenação entre as empresas revela-se suficiente à caracterização do grupo econômico, independente da existência de relação hierárquica entre elas ou até da identidade de sua finalidade econômica e objetivos sociais.-

Aludido precedente, como se vê, preconiza que não é necessária a existência de relação hierárquica entre as empresas para se configurar grupo econômico, podendo ser aferido apenas pela existência de relação de coordenação.

Ante o exposto, admito os embargos do Reclamante, nos termos do § 1º do art. 2º da Instrução Normativa nº 35/2012 do TST.

Intimem-se as Embargadas para apresentar impugnação, querendo.

Publique-se.

Brasília, 04 de fevereiro de 2016.

Firmado por assinatura digital (MP 2.200-2/2001)

JOÃO ORESTE DALAZEN

Ministro Presidente da 4ª Turma


fls.


Disponível em: https://tst.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/864955627/embargos-declaratorios-recurso-de-revista-e-ed-rr-9966320105020261/inteiro-teor-864955803