jusbrasil.com.br
20 de Outubro de 2021
2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal Superior do Trabalho TST - EMBARGOS DECLARATORIOS RECURSO DE REVISTA : E-ED-RR 61200-68.2012.5.17.0008 - Inteiro Teor

Tribunal Superior do Trabalho
há 6 anos
Detalhes da Jurisprudência
Publicação
DEJT 20/08/2015
Relator
Márcio Eurico Vitral Amaro
Documentos anexos
Inteiro TeorTST_E-ED-RR_612006820125170008_e94b1.pdf
Inteiro TeorTST_E-ED-RR_612006820125170008_25bc3.rtf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

0105000002000000180000004d73786d6c322e534158584d4c5265616465722e362e3000000000000000000000060000d0cf11e0a1b11ae1000000000000000000000000000000003e000300feff090006000000000000000000000001000000010000000000000000100000feffffff00000000feffffff0000000000000000fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffdfffffffeffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff52006f006f007400200045006e00740072007900000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000016000500ffffffffffffffffffffffff0c6ad98892f1d411a65f0040963251e5000000000000000000000000f0f30a046653cf01feffffff00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000105000000000000Embargante:ELSON DAMASCENO DE SOUZA

Advogado :Dr. Antônio Augusto Dallapíccola Sampaio

Advogado :Dr. Joaquim Augusto de Azevedo Sampaio Netto

Embargada :VALE S.A.

Advogado :Dr. Nilton da Silva Correia

Advogado :Dr. Rodolfo Gomes Amadeo

GMMEA/tp

D E C I S Ã O

Atendidos os pressupostos extrínsecos de admissibilidade referentes à tempestividade (fls. 289 e 304) e à regularidade de representação (fls. 17), passo ao exame dos pressupostos intrínsecos dos Embargos.

A Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho, mediante o acórdão de fls. 257/270, conheceu do Recurso de Revista interposto pela Reclamada, por divergência jurisprudencial e, no mérito, deu-lhe provimento para afastar a condenação relativa à manutenção do pagamento do auxílio-alimentação ao Reclamante aposentado por invalidez.

Eis o teor da ementa da decisão ora embargada:

-RECURSO DE REVISTA. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. SUSPENSÃO DO CONTRATO DE TRABALHO. MANUTENÇÃO DO AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO.

A suspensão do contrato de trabalho implica a sustação das obrigações contratuais, de maneira que se suspendem não só o pagamento dos salários, mas também o da maioria das obrigações acessórias devidas normalmente pelo empregador, inclusive o pretendido benefício de auxílio-alimentação, não previsto nas normas coletivas para a hipótese.

Recurso de revista conhecido e provido-.

O Reclamante interpõe Embargos (fls. 291/303), sob a égide da Lei nº 11.496/2007. Alega violação de preceitos legais e constitucionais e transcreve arestos para demonstração de divergência jurisprudencial.

Vislumbro a presença de divergência jurisprudencial apta a ensejar o processamento dos presentes Embargos.

No aresto transcrito às fls. 293/294, a Sétima Turma, analisando as mesmas premissas fáticas, registrou tese diversa da adotada pela Oitava Turma, concluindo:

-RECURSO DE REVISTA - AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO - CESTA BÁSICA - APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - MANUTENÇÃO DO BENEFÍCIO - DIREITO INERENTE À DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA OSTENTADA PELO TRABALHADOR. A aposentadoria por invalidez, segundo sólida jurisprudência da Corte, não é causa de extinção do contrato de trabalho, mas de suspensão, que paralisa apenas os efeitos principais do vínculo de emprego. Nessa senda, os postulados da dignidade da pessoa humana (art. , inciso III, da Constituição da República) e da boa-fé objetiva (art. 422 do Código Civil) vedam que o empregador deixe de oferecer auxílio-alimentação e cesta básica ao trabalhador aposentado por invalidez, no momento em que ao empregado é indispensável a manutenção do benefício, sob pena de privar o trabalhador das condições necessárias ao restabelecimento de sua saúde. O valor social do trabalho (art. , inciso IV, da Constituição da República), fundamento da República Federativa do Brasil, impõe a adoção de todas as medidas possíveis para que se preservem a saúde e a integridade física e mental daquele que presta serviços subordinados a outrem. Precedentes. Recurso de revista conhecido e provido.-

Ante o exposto, configurado o dissenso entre o acórdão embargado e o aresto oriundo da Sétima Turma desta Corte, recebo os Embargos interpostos pelo Reclamante, nos termos dos artigos 894, II, da CLT e 2º da Instrução Normativa nº 35/2012 do TST.

Intime-se a Embargada a apresentar impugnação, querendo.

Publique-se.

Brasília, 28 de julho de 2015.

Firmado por assinatura digital (MP 2.200-2/2001)

Márcio Eurico Vitral Amaro

Ministro Presidente da Oitava Turma


fls.


Disponível em: https://tst.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/222726105/embargos-declaratorios-recurso-de-revista-e-ed-rr-612006820125170008/inteiro-teor-222726121