jusbrasil.com.br
5 de Julho de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Tribunal Superior do Trabalho TST - EMBARGO EM RECURSO DE REVISTA: E-RR 5440-21.2008.5.04.0014 - Inteiro Teor

Tribunal Superior do Trabalho
há 7 anos

Detalhes da Jurisprudência

Publicação

DEJT 23/03/2015

Relator

João Oreste Dalazen

Documentos anexos

Inteiro TeorTST_E-RR_54402120085040014_04e18.rtf
Inteiro TeorTST_E-RR_54402120085040014_0a26f.rtf
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Inteiro Teor

0105000002000000180000004d73786d6c322e534158584d4c5265616465722e362e3000000000000000000000060000d0cf11e0a1b11ae1000000000000000000000000000000003e000300feff090006000000000000000000000001000000010000000000000000100000feffffff00000000feffffff0000000000000000fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffdfffffffeffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff52006f006f007400200045006e00740072007900000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000016000500ffffffffffffffffffffffff0c6ad98892f1d411a65f0040963251e5000000000000000000000000f0f30a046653cf01feffffff00000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000ffffffffffffffffffffffff0000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000000105000000000000Embargante:NEURO NELSON AGOSTINI

Advogado :Dr. Roberto de Figueiredo Caldas

Advogada :Dra. Rafaela Possera Rodrigues

Embargada :FUNDAÇÃO CEEE DE SEGURIDADE SOCIAL - ELETROCEEE

Advogada :Dra. Daniela Mondino Cantori

Embargados:COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - CEEE E OUTROS

Advogado :Dr. Cláudio Teixeira Damilano

JOD/ros/fv

D E C I S Ã O

A Eg. Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho, mediante o acórdão de fls. 302/317, conheceu do recurso de revista interposto pelas Reclamadas no tocante ao tema -Complementação de aposentadoria - diferenças - norma coletiva - RVDC de 1996 - adesão - renúncia ao regulamento anterior - Súmula nº 51, II, do Tribunal Superior do Trabalho-, por contrariedade à Súmula nº 51, II, do TST. No mérito, deu provimento ao recurso para julgar improcedentes os pedidos formulados na petição inicial.

A Eg. Turma entendeu que a adesão do Reclamante ao contido na cláusula 25 do acordo coletivo estabelecido no TRT-96.034611-2-RVDC implica aceitação de todas essas regras, em detrimento das normas instituídas pelo regulamento vigente à época da admissão do Reclamante.

Para tanto, o aludido Colegiado consignou que, na espécie, tem plena aplicação o entendimento contido no item II da Súmula nº 51 desta Corte segundo o qual -havendo a coexistência de dois regulamentos da empresa, a opção do empregado por um deles tem efeito jurídico de renúncia às regras do sistema do outro-.

O Reclamante interpõe embargos (fls. 319/332), sob a égide da Lei nº 13.045/2014. Aponta violação de dispositivo de lei e da Constituição Federal e contrariedade ao item II das Súmulas nºs 51 e 288, por má aplicação, bem como transcreve arestos para o cotejo de teses.

Os embargos, contudo, revelam-se inadmissíveis.

Como cediço, consoante a nova redação do art. 894, inciso II, da CLT, a admissibilidade do recurso de embargos encontra-se jungida à demonstração de divergência jurisprudencial entre Turmas ou entre Turma e a Seção de Dissídios Individuais, ou, ainda, de contrariedade a Súmula ou a Orientação Jurisprudencial da SbDI-1 do Tribunal Superior do Trabalho.

Logo, a indicação de violação de preceito legal ou constitucional não viabiliza o conhecimento do recurso de embargos.

De outra parte, dispõe o § 2º do art. 894 da CLT, com redação conferida pela Lei nº 13.015/2014, que a divergência apta a ensejar os embargos deve ser atual, não se considerando tal a ultrapassada por súmula do TST ou do STF ou superada por iterativa e notória jurisprudência do TST.

No caso, como visto, a Eg. Quarta Turma entendeu que o acórdão regional, ao decidir pela validade das regras do Regulamento de 1979 e, concomitantemente, daquelas oriundas da RVDC de 1996, contrariou a orientação da Súmula nº 51, II, do TST.

Tal entendimento, ao revés do alegado pelo Reclamante, encontra-se em sintonia com a diretriz da Súmula nº 51, II, e da Súmula nº 288, II, do TST, de seguinte teor:

-NORMA REGULAMENTAR. VANTAGENS E OPÇÃO PELO NOVO REGULAMENTO. ART. 468 DA CLT (incorporada a Orientação Jurisprudencial nº 163 da SBDI-1) - Res. 129/2005, DJ 20, 22 e 25.04.2005

(...)

II - Havendo a coexistência de dois regulamentos da empresa, a opção do empregado por um deles tem efeito jurídico de renúncia às regras do sistema do outro. (ex-OJ nº 163 da SBDI-1 - inserida em 26.03.1999)-

-COMPLEMENTAÇÃO DOS PROVENTOS DA APOSENTADORIA (inserção do item II à redação) - Res. 193/2013, DEJT divulgado em 13, 16 e 17.12.2013.

(...)

II - Na hipótese de coexistência de dois regulamentos de planos de previdência complementar, instituídos pelo empregador ou por entidade de previdência privada, a opção do beneficiário por um deles tem efeito jurídico de renúncia às regras do outro.- (sem grifos no original)

De sorte que não se prestam à demonstração de divergência jurisprudencial arestos que adotam entendimento que não se revela atual no âmbito desta Corte.

Ressalte-se, ainda, que, dentre os julgados que ensejaram a edição do item II da Súmula nº 288 do TST, há precedente em que se discute questão idêntica à presente (E-ED- RR-135500-52.2008.5.04.0024), Rel. Min. Renato de Lacerda Paiva, DEJT de 16/8/2013).

Anoto, ademais, que a Eg. SbDI-1 desta Corte, analisando questão semelhante, em face das mesmas Reclamadas, vem reiteradamente entendendo que a adesão às normas da RVDC de 1996 implica renúncia àquelas do Regulamento de 1979, conforme o entendimento das Súmulas nºs 51, II, e 288, II, do TST.

Tomem-se, a propósito, os seguintes precedentes: E- ARR-998-31.2011.5.04.0006, Relator Ministro Alexandre de Souza Agra Belmonte, DeJT de 28/11/2014; E- RR-416-75.2010.5.04.0811, Relator Ministro Renato de Lacerda Paiva, DeJT de 22/8/2014; e AG-E- RR-49900-16.2005.5.04.0009, Relator Ministro Augusto César Leite de Carvalho, DeJT de 21/3/20014.

Nesse contexto, incide, pois, na espécie, o óbice contido nos arts. 2º do ATO nº 491/SEGJUD.GP e 894, inciso II e § 2º, da CLT.

Ante o exposto, denego seguimento aos embargos do Reclamante, com fulcro nos arts. 557, caput, do CPC e 2º, § 2º, da Instrução Normativa nº 35/2012.

Publique-se.

Brasília, 20 de fevereiro de 2015.

Firmado por assinatura digital (MP 2.200-2/2001)

JOÃO ORESTE DALAZEN

Ministro Presidente da 4ª Turma


fls.


Disponível em: https://tst.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/176212135/embargo-em-recurso-de-revista-e-rr-54402120085040014/inteiro-teor-176212144